Em áudio, Ana Carolina Vieira chora após ser ameaçada pelo ex-namorado

A dançarina foi encontrada morta no apartamento em que morava, na Zona Sul de São Paulo Foto: Reprodução / Facebook

Familiares de Ana Carolina Vieira, de 30 anos, encontrada morta na última quarta-feira, em São Paulo, afirmam que a dançarina foi ameaçada pelo ex-namorado inúmeras vezes antes de ser assassinada. De acordo com a empresária Mara Dalila Gomes, prima da vítima, Anderson Leitão, de 30 anos, ficou mais agressivo com a jovem após o término do relacionamento, há cerca de dois meses. O EXTRA teve acesso a áudios gravados por Ana, nos quais ela chora após as ligações e ameaças do ex-companheiro.
Em um dos desabafos, chorando, a jovem diz: “Eu não aguento mais o Anderson me ligando. Meu Deus! É uma tortura! Eu não sei mais o que fazer. O que eu faço?”. Em outro áudio, a dançarina revela que já havia sido ameaçada de morte pelo rapaz: “Ele disse que ia me matar, que ia me esquartejar”.
De acordo com Mara, Ana Carolina decidiu se separar de Leitão após uma briga, em Fortaleza, no Ceará.
— Ele chegou a morar um tempo com ela em São Paulo. Nessa época, a gente não soube de brigas entre eles. Mas, há cerca de dois meses, eles tiveram uma discussão aqui em Fortaleza. Ele foi muito agressivo com ela. Então, a Ana decidiu que não dava mais, que ele não a respeitava. Foi aí que começou o inferno — disse Mara.
Ainda segundo a prima de Ana Carolina, o ex-namorado ligava várias vezes ao dia para a dançarina para ameaçá-la.
— Ele ligava cem vezes para ela, direto. Ligava até com número desconhecido. Ela atendia e ele dizia: “E aí? Cansou”. Ele a xingava. Ele é doente e enlouqueceu quando viu que ela não queria mais ele. Então, a matou — contou.
Os àudios, segundo Mara, serão entregues à polícia de São Paulo pelos familiares de Ana.
Anderson foi preso e encaminhado para o 95° DP (Cohab Heliópolis)
Anderson foi preso e encaminhado para o 95° DP (Cohab Heliópolis) Foto: Reprodução / Facebook
A empresária diz ainda que a família está pensando em cremar o corpo de Ana Carolina em São Paulo e levar as cinzas para Fortaleza.
— O desejo dela era ser cremada. A gente quer jogar as cinzas na Praia do Futuro (no Ceará), o lugar preferido dela, numa cerimônia.
Mensagens no WhatsApp
Igor Holanda, de 27 anos, irmão de Ana Carolina, revelou ao EXTRA, nesta quinta-feira, que o ex-namorado da jovem se passou por ela em conversas pelo WhatsApp para enganar a família, após matá-la.
Segundo Igor, o rapaz matou a dançarina no fim de semana e, depois, usou o celular da vítima para responder mensagens enviadas pela mãe dela.
— No domingo, a gente ligava e ela (Ana Carolina) não atendia. Minha mãe ficou preocupada e mandou mensagens para ela no WhatsApp. Então, ele mandou uma mensagem pelo celular dela (Ana Carolina) dizendo: “Mãe, tá tudo bem. Estou na praia com minhas amigas. Te amo. Beijos”. Mas minha irmã já estava morta. Ele é extremamente inteligente e agora vai querer se passar por doido para se safar — desabafou Igor, que acrescentou: — Ele queria passar para a nossa família uma ideia de que estava tudo bem com ela.
Segundo familiares de Ana Carolina, o assassino se passou pela jovem em conversas no WhatsApp
Segundo familiares de Ana Carolina, o assassino se passou pela jovem em conversas no WhatsApp Foto: Divulgação
Ana Carolina, natural do Ceará, foi encontrada morta em casa na manhã de quarta-feira, no bairro Sacomã, Zona Sul de São Paulo. Anderson Rodrigues Leitão, de 27 anos, foi preso e confessou o crime.
Ana Carolina Vieira (à esquerda) ao lado de familiares e Igor (à direita)
Ana Carolina Vieira (à esquerda) ao lado de familiares e Igor (à direita) Foto: Divulgação
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013