Ministros do TSE decidem se mantém ação contra Dilma e Temer

Ação do PSDB pede impugnação dos mandatos de Dilma e Michel Temer.
Único voto contra, até agora, é o da ministra Maria Thereza de Assis Moura.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral se reuniram nesta terça-feira (25) para decidir se vão dar prosseguimento a uma ação apresentada pelo PSDB, que pede a impugnação dos mandatos da presidente Dilma e do vice, Michel Temer. O julgamento ainda não terminou.
O julgamento começou às 21h, mas em uma hora a sessão foi suspensa por um pedido de vista. Foram quatro a favor para que a ação que pede a cassação do mandato da presidente Dilma e do vice Michel Temer siga em frente.  Ontem, votaram pelo sim os ministros Henrique Neves e Luiz Fux.
Os ministros João Otávio de Noronha e Gilmar Mendes também já tinham votado a favor em outra sessão. O que dá maioria em favor de continuar a ação. O único voto contra, até agora, é o da ministra Maria Thereza de Assis Moura, que é a relatora. Para ela, a ação não traz provas e que os fatos que são discutidos hoje, apareceram depois.
“Então, o voto do eminente ministro. Eu estou de pleno acordo e como todo brasileiro, eu também quero um país sem corrupção, eu também quero país que seja um país melhor para os nossos filhos e netos. Os fatos trazidos pelo eminente ministro são graves? São graves e eu estou de pleno acordo, Só que são fatos supervenientes, são fatos que nem nós e nem o autor da ação tinham conhecimento quando a ação foi trazida até nós”, fala Maria Thereza.
Mas o julgamento não terminou porque a ministra Luciana Lóssio pediu mais tempo para analisar o caso.
O PSDB é o autor da ação contra a presidente Dilma e o vice Michel Temer. O partido alega que houve abuso de poder político e econômico durante a campanha do ano passado. Diz que houve manipulação na divulgação de dados econômicos, uso de prédios e equipamentos públicos em atos de campanha, uso indevido da cadeia nacional de rádio e TV e uso de dinheiro desviado daPetrobras para o caixa da campanha.
Existem outros quatro processos no TSE contra a presidente e nesta terça-feira, o ministro Luiz Fux, que votou a favor da continuidade da ação, propôs a unificação de todos os processos que correm no TSE sobre a campanha de Dilma.
“A possibilidade real de pronunciamento divergentes acerca dos mesmos fatos o que descredibilizaria a Justiça Eleitoral e geraria um cenário de insegurança jurídica. A prevalecer a tramitação separado os prejuízo são infinitamente superiores aos benefícios que seria auferidos. Refuto qualquer vantagem na manutenção deste modelo vigente”, declara Fux.
Agora o julgamento terá de ser retormado. Os ministros que já votaram ainda podem mudar de ideia e trocar o voto. A ministra que pediu vista, Luciana Lossio, não tem prazo para trazer o processo de volta ao plenário.
Fonte: G1
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013