Campanhas já somam R$ 362 milhões no País

Faltando três semanas para o pleito, o valor gasto pelas campanhas já é maior que a arrecadação declarada 
Porto Alegre / Fortaleza / São Paulo Os candidatos a governador pelo país gastaram R$ 362 milhões nos dois primeiros meses de campanha, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Os dados são da segunda parcial da prestação de contas das candidaturas, divulgada no último sábado.
O total arrecadado pelas candidaturas é inferior: R$ 281 milhões. Isso ocorre porque 49 dos 173 candidatos declararam despesas maiores do que as receitas no período.
O maior déficit da campanha é do candidato pelo PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha. Ele informou ter arrecadado R$ 4,1 milhões até agora, mas teve gastos de R$ 35 milhões. A campanha do petista diz que declarou como despesa quantias referentes à previsão de gastos com contratos já firmados.
Também aparecem na lista dos grandes déficits da campanha os candidatos Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), com cerca de R$ 8 milhões acima do arrecadado, Robinson Faria (PSD-RN), com R$ 6,1 milhões, e Eduardo Amorim (PSC-SE), que gastou R$ 4,3 milhões além de suas receitas.
Cearenses
No Ceará, a campanha do candidato a governador Camilo Santana (PT) foi a que declarou o maior montante gasto. Foram despendidos R$ 11,36 milhões e arrecadados R$ 8,97 milhões.
Nos dois primeiros meses de campanha, quem mais arrecadou foi o petista Rui Costa, candidato na Bahia apoiado pelo governador Jaques Wagner (PT). Sua campanha declarou receitas de R$ 14,6 milhões. Só a empreiteira baiana OAS contribuiu com R$ 4,3 milhões.
Dois governadores estão em segundo e terceiro lugares no ranking da arrecadação: o tucano Geraldo Alckmin (SP), candidato à reeleição, que diz já ter obtido R$ 14 milhões, e o peemedebista Luiz Fernando Pezão (RJ), que declarou receitas de R$ 13 milhões. A seguir, aparecem os candidatos Pimenta da Veiga (PSDB-MG), com receitas de R$ 12,4 milhões, e Paulo Câmara (PSB-PE), com arrecadação de R$ 11,7 milhões.

Alguns Estados sem grande população e com menor força econômica estão entre os que possuem campanhas mais caras para governador. Em Mato Grosso do Sul, com eleitorado de 1,8 milhão, os seis candidatos declararam despesas somadas de R$ 31 milhões até agora. É o segundo Estado do país com mais gastos, atrás apenas de São Paulo. A Paraíba está em terceiro lugar, com gastos de R$ 23,7 milhões
Fonte:DN
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013