APRESENTADORA DO SBT DIZ QUE 'DEFENDE DIREITO DA POPULAÇÃO SE DEFENDER'; ASSISTA

A apresentadora do SBT Brasil, Rachel Sheherazade, que na terça-feira se pronunciou favorável à ação dos responsáveis por prender um rapaz com três passagens pela polícia por roubo e furto em um poste, no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro, se defendeu da polêmica que tomou conta das redes sociais nesta semana após seu comentário. "Minhas palavras foram muito claras, o que eu defendi foi o direito da população de se defender quando a polícia é omissa", disse durante a edição desta quinta-feira do telejornal.
"Eu sou uma pessoa do bem, estou do lado do bem. Jamais defenderia a violência. Eu defendo as pessoas de bem desse País, que foram abandonadas à propria sorte", afirmou. "O que não pode fazer é confundir o direito de se defender com a barbárie", completou.
O colega de bancada, Joseval Peixoto, defendeu a opinião da jornalista. "Há uma certa confusão em alinhar a opinião de um apresentador com a linha editorial da emissora. O que é um principio geral para todos nós (SBT) é que é absoluta a liberade de expressão", disse.
O Psol anunciou na quarta-feira que irá protocolar no Ministério Público uma representação contra a apresentadora do telejornal, por supostamente “incitar” os crimes de tortura e linchamento.
Agressão a jovem gera polêmica
A agressão ao rapaz ganhou as redes sociais depois de ser denunciada pela artista plástica Yvonne Bezerra de Melo, fundadora do projeto Uerê, que atende crianças e adolescente carentes no Complexo da Maré. Yvonne postou no Facebook uma foto do adolescente logo após a agressão.
Além de ser preso ao poste com uma trava de bicicleta, o jovem chegou a ter parte da orelha arrancada. Ele foi socorrido e levado ao hospital municipal Miguel Couto pelos bombeiros, que precisaram usar um maçarico para libertar o rapaz.
Por conta do episódio, 14 jovens foram detidos por policiais militares na madrugada de terça-feira. Eles são suspeitos de ser integrantes de um grupo identificado como “justiceiros do Flamengo”. De acordo com a polícia, a suspeita é de que eles ataquem com tacos de beisebol, paus e pedras suspeitos de praticarem roubos na região.
Segundo a Polícia Civil, os 14 jovens, entre eles um adolescente, foram encaminhados para a 9ª DP (Catete), onde negaram participação no crime, assinaram um termo circunstanciado e, em seguida, foram liberados. Os rapazes respondem por crime de formação de bando ou quadrilha, tentativa de lesão corporal e corrupção de menores. 
Confira: 



Terra
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013