Multidão reunida na marcha em favor da vida


Caminhada, na Avenida Beira-Mar, teve como motes a aprovação do Estatuto do Nascituro e o combate ao aborto
Na luta contra a legalização do aborto, uma multidão se reuniu, na tarde deste domingo, na Avenida Beira-Mar, para mais uma edição da Marcha pela Vida Contra o Aborto, promovida pelo Movimento em Favor da Vida (Movida). A iniciativa ainda conta com o apoio de entidades como a Câmara Municipal de Fortaleza, Associação Estação da Luz e Comitê Cearense da Cidadania Pela Vida - Brasil Sem Aborto.

A Marcha Pela Vida Contra o Aborto contou com a participação de ativistas em defesa da conservação dos direitos humanos desde a concepção do nascituro. Entre a multidão, gestantes pintaram as barrigas com mensagens positivas fotos: Alex costa

Em 2013, o movimento tem como tema o "Estatuto do Nascituro", projeto que tramita na Câmara dos Deputados há seis anos e cujo objetivo é garantir a proteção à vida do ser humano desde a concepção, antes mesmo do nascimento.

Mais proteção
"Lutamos para que haja mais esse meio de proteção às vidas da mulher e da criança. O Estatuto do Nascituro vem reforçar os direitos que nós já temos desde a concepção, proclamados pela Constituição Federal, pelo direito civil e pelos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário. Defender o estatuto é, consequentemente, uma forma de combater a prática do aborto", pontua Marília Bitencourt Campos Calou, coordenadora institucional do Movida.

A caminhada foi animada pela presença da cantora baiana Márcia Porto e do cearense Chico Pessoa, que apresentaram algumas canções durante o percurso. "Eu faço parte desse projeto porque é um direito de todos. A vida deve ser conservada acima de tudo. Quando nos manifestamos contra o aborto, estamos defendendo a vida", coloca Chico Pessoa.

Barrigas pintadas
Um grupo de mulheres grávidas, pertencentes à Associação Maria Mãe da Vida, organização do Pirambu que apoia jovens mulheres em situação de risco, exibia mensagens e desenhos de incentivo à proteção dos bebês pintadas em suas próprias barrigas, num apelo pela conservação da vida.

"Ninguém pode dizer que uma vida não deve mais ter os seus direitos. A Marcha pela Vida tem a ver com a sociedade que nós queremos ter. Uma sociedade que admite a morte de crianças indefesas, ainda na barriga da mãe precisa rever seus próprios princípios éticos", conclui Marília Bitencourt. Durante o evento também foram recolhidas assinaturas dos presentes para um abaixoassinado em favor da legalização do Estatuto do Nascituro.

RANNIERY MELOREPÓRTER

ENQUETE

Qual a importância da marcha?

"Cada vida é importante. Já soube de casos próximos de aborto em que as mães se arrependeram depois, por isso sou totalmente contra. Estou grávida do meu segundo filho, por isso vejo a necessidade de lutar pela vida"

Evelândia da SilvaDiarista

"Sou católica, mas, não só de acordo com a minha religião, eu percebo racionalmente que a vida acontece desde a concepção. Estamos aqui para relembrar às autoridades que o Brasil, em sua maioria, é contra o aborto"

Letícia Alves
Estudante universitária
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013