Explosão deixa mortos e feridos

West, Texas. Equipes de busca e resgate continuaram durante toda o dia de ontem em West, uma pequena cidade do Texas com menos de 3.000 habitantes, a procurar corpos e sobreviventes da explosão de uma fábrica de fertilizantes que causou a destruição e danos em uma escola, um asilo, 150 casas e lojas, no maior incidente do tipo em 66 anos no Texas. Um tremor de 2,1 graus na escala richter foi detectado, fazendo o evento ser percebido num raio de até 100km.

Dentre as pessoas que podem ter morrido no incidente está um grupo de bombeiros voluntários e um oficial da Polícia FOTO: REUTERS

Metade da cidade foi evacuada e o governador do estado, Rick Perry, decretou o condado de McLennan, onde fica West, área de desastre. Segundo o prefeito da cidade, Tommy Muska, cerca de 40 pessoas morreram, incluindo 10 membros da equipe de emergência.

As autoridades de busca e resgate, entretanto, se negaram a confirmar os números divulgados pelo prefeito, que é voluntário da Defesa Civil local. Os feridos estão estimados em cerca de 180, sendo 24 em estado crítico.

" Foi como se uma bomba nuclear tivesse sido disparada", disse Muska. " Muitos de nós não estarão aqui amanhã... é de cortar o coração", lamentou.

A situação na área continua perigosa, pois gases tóxicos podem escapar da fábrica, a West Fertilizer, e atingir as áreas próximas ou, dependendo do vento, municípios vizinhos.

O porta-voz do Departamento de Segurança Pública do Texas, DL Wilson, descreveu a cena de casas danificadas e acrescentou que do complexo de apartamentos ficou apenas o "esqueleto". "Foi violento, como no Iraque... um edifício com uns 50 apartamentos parecia um esqueleto", descreveu.

Segurança

Enquanto as autoridades buscam entender o que aconteceu e reduzir as chances de mais mortos, começam a surgir dúvidas sobre a segurança da fábrica, que começou a operar há 51 anos e sofreu denúncias de vazamento de gases. Segundo o jornal texano "Houston Chronicle", os problemas com a segurança começaram a surgir em 2004, quando a fábrica mudou de proprietário e passou a sofrer denúncia de vazamento de gases. Dessa data em diante a produtora de fertilizantes operou por três anos sem licença.

Foram as denúncias da comunidade local que levaram o governo a fiscalizar e emitir licença para a operação. Com a explosão, uma série de problemas de segurança da fábrica reapareceram. A Administração para Segurança e Saúde do Trabalho, por exemplo, teria investigado a empresa pela última vez em 1985.

O governador disse que a fábrica não dava nenhum sinal de que poderia sofrer um acidente dessas características. O plano de emergência da West Fertilizer não assumia a possibilidade de uma explosão. Dois órgãos federais dos EUA, um para explosivos outro para químicos, disseram que farão extensas investigações na área.
share

0 comentários

Comente Agora

Varjota em Rede - 2013